NoMicro

NoMicro

Este projeto oferece um penso para aumentar a cicatrização de feridas crónicas e prevenir a sua infeção microbiana. A tecnologia está protegida por duas patentes internacionais e foi desenvolvida
no laboratório de Biomateriais e terapias baseadas em células estaminais. O penso é formado por uma base polimérica (ex: poliuretana) e por um revestimento de nanopartículas conjugadas com
um peptídeo antimicrobiano chamado LL37. Este peptídeo encontra-se predominantemente na pele humana e atua a níveis diferentes do equilíbrio biológico da pele. LL37 faz parte da primeira linha de defesa contra bactérias, vírus e fungos e possui um papel muito importante na imunomodulação, angiogenesis e cicatrização da pele.

Em termos de impacto tecnológico, a tecnologia NoMicro é única pois combina propriedades regenerativas com propriedades antimicrobianas no mesmo penso. Isso é possível devido à utilização de um peptídeo natural (LL37) existente na pele humana que exibe ambas as propriedades. A eficácia da tecnologia foi demonstrada em modelo animal. Esta tecnologia reduz o tempo de tratamento e os custos de tratamento pois diminui o tempo de cicatrização, o número de complicações devido a infeções microbianas e o número de mudanças de pensos (bem como de tempo de apoio de enfermagem).

Em termos de impacto económico, estima-se que o mercado de feridas crónicas excede os 10 biliões de dólares anuais e tende a aumentar devido ao aumento do envelhecimento da população em
geral, o aumento da diabetes, o aumento de indivíduos obesos, entre outras razões. A inovação da tecnologia NoMicro prende-se com o revestimento. O revestimento é composto por nanopartículas de ouro possuindo uma elevada densidade de peptídeos antimicrobianos (o processo de fabricação das nanopartículas faz parte da propriedade inventiva; foi descoberto um novo processo para gerar essas nanopartículas). O tamanho das nanopartículas foi otimizado para evitar fenómenos de citotoxicidade e ao mesmo tempo apresentar eficientemente o peptídeo antimicrobiano. Para além disso, a equipa NoMicro possui resultados experimentais que demonstram que o peptídeo LL37 imobilizado possui um mecanismo de regeneração diferente do peptídeo solúvel (resultados in vitro e in vivo). O mecanismo de ação do peptídeo foi avaliado por ensaios funcionais (testes de migração de queratinócitos) e em modelo animal.

Tipo de projeto: Bolsas de Ignição

Ano de aprovação: 2018

Promotor principal: Lino da Silva Ferreira

Área(s) de conhecimento: Biotecnologia

Share
[share post_type="portfolio"]